Make your own free website on Tripod.com
 
Interdisciplinary Journal on Human Development, Culture and Education
Revista Interdisciplinar de Desenvolvimento Humano, Cultura e Educação

ISSN: 1533-6476

Tikunakids / Crianças Tikuna
Aldeia Filadelfia
BenjaminConstant, Amazonas, Brasil
photo (c)  Marcelo Lima
 

About us /
Sobre a Revista

Apoio / sponsors

Presentation /
Apresentação

Editorial policy /
Normas editoriais

Book Reviews /
Resenhas

Review Essays  /
Ensaios bibliográficos

Notas de Leitura
Reading Notes

Books received /
Livros recebidos

Web Reviews / Links
 

Vol I :

número / number 1

número / number 2
 

Sign our /
Assine o nosso
Guest Book /
Livro de Visitas

Leia o nosso /
Read our
Livro de Visitas /
Guest Book
 

READER'S FORUM
ESPAÇO DO LEITOR


revised / revisto :
1, Outubro / October 2001

em Portguês

The InterdisciplinaryJournal on Human
Development, Culture, and Education: CEPAOS
Review is a publication of CEPAOS Research
Center, a non-profit, independent research
institution that gathers international specialists,
students and practitioners in various fields of
investigation and in the various domains of
social-cultural practices, united by a common
interest on the issues of human development and
cultural development today. 

The Journal seeks to constitute a forum for
innovative and renewed developments in
Psychology, Education, Anthropology, the
Cognitive Sciences and Social Sciences, Cultural
Research, and related areas. 

Some of us take as our point of departure, in a
non-exclusive manner, some of the fundamental
concepts advanced by Lev Vygotsky´s Cultural
Historical Theory of Human Development. In fact,
we consider one of our important tasks to clarify,
evaluate and expand, as much as possible and
necessary, on the notions elaborated by Vygotsky
and collaborators in the early part of the 20th
Century, and taking into account the important
contributions of Henri Wallon's dialectical
psychology for the construction of a theory and
science of the human subject. 

For Cultural Historical Psychology, the notion of
human development encompasses the individual as
well as the social aspects of the human historical
process of development, that is, the
cultural-historical practices of socialization and
humanization. It involves the subjective, the
objective, the material (biological and sociological),
the communicative, and the significant or semiotic
conditions of the processes of human autopoiesis.

Vygotsky´s central notion of the semiotic-historical
dimension of human development holds the
promisse of being a fundamental unifying concept
for the study of human reality. It allows us to
consider and understand the diversity of aspects
and the multidimensional nature of human
developmental processes. 

Our goal is to promote a better understandingof the
developmental issues, at the level of the subject
and at the objective (socio-historical) level,
confronting the human community at a time of
profound transformations in the organization of life
and the organization of knowledge itself. 

Needless to say that we consider the recourse to
Cultural-Historical Theory´s founding ideas and
general notions, understood in a critical and
dialogical manner, far from a merely "contemplative"
or "antiquarian" interest on the once "forgotten"
past of contemporary science (and equally far from
being a mere "projection" of contemporary issues
on the past) as indicative (in a profoundly
self-reflective, critical, that is, dialectical way) of the
mutual relations between scientific developments
and the social historical conditions of the practices
of knowledge. 

Vygotsky as a scientist was not simply, as many
have stated, a man "ahead of his time". In fact, by
being totally and passionately a man of his time,
by immersing himself in the larger reality of his own
historical moment (one in which a segment of a
historically determined national formation in a
process of revolutionary change, within the confines
of its national realities, marked by structural and
ideological confluences and conflicts, attempted,
from a globalizing perspective, to image and to try
to construct the future of the human community)
the Russian psychologist was able, by considering
the historical dimension of knowledge itself, to
point the direction for future knowledge. 

In this sense, his example indicates to us also,
living a diverse historical moment of "mutation" of
our "forms of life" and "modes of consciousness",
the permanent need for a methodological
reconstruction of scientific practice that is part of
the historical development of knowledge, of science
itself understood as cultural product and cultural
practice. Therefore, our methodological task today
is also to mediate the knowledge of reality and the
knowledge of knowledge as the two sides of the
same critical process. 

Properly understood, interdisciplinary research is a
condition for the growth of knowledge in ourtime.
"Interdisciplinary" means here something more,
or rather, something other than the simple
assemblage of different scientific fields and of
diverse practical or theoretical disciplines. It
means, many times, to work "around" or "in
between" the frontiers or the "gaps" between
scientific fields and disciplines, and often to work
"against the grain" of recognized academic
disciplines, in sum, to counter the reification and
fragmentation that have traditionally accompanied
the institutionalization of knowledge in many
scientific or scholarly fields. To work against the
division of scientific labor into opposing or exclusive
territories, is to question the conditions that
generate ideological "blind spots" within scientific
knowledge and scientific discourse. 

We welcome all contributions which endeavor to
elucidate and broaden the scope of the knowledge
which we, including here those from the scientific
community as well as the members of
thecommunity at large, may consider, in fact or
potentially, essential for the understanding of
human development and its relation to the scientific
and practical challenges of our time. 

The Editor


A revista CEPAOS - Revista Interdisciplinar de
Desenvolvimento Humano, Cultura, e Educação, é
uma publicação do CEPAOS - Centro de Estudos
e Pesquisas Armando de Oliveira Souza, uma
instituição independente de pesquisa que reúne
especialistas internacionais, estudiosos e
profissionais nos vários campos de investigação e
nos vários domínios de práticas sócio-culturais,
unidos por um interesse comum nos temas do
desenvolvimento humano e desenvolvimento
cultural hoje. 

Nossa publicação visa constituir um espaço para
novos desenvolvimentos em Psicologia, Educação,
Antropologia, Ciências Cognitivas, Ciências
Sociais, o estudo das Artes e da Cultura, e áreas
afins. Tomamos como ponto de partida, de modo
inclusivo, alguns conceitos fundamentais da Teoria
Histórico-Cultural do Desenvolvimento Humano
inaugurada por Lev Vygotsky. Com efeito,
consideramos uma de nossas tarefas principais
clarifica, avaliar e desenvolver, tanto quanto
possivel e necessario, algumas das noções
fundamentais elaboradas por Vygotsky e
colaboradores na primeira metade do século XX, e
levando em conta as contribuições importantes da
psicologia dialética de Henri Wallon para a
construção de uma teoria e ciencia do sujeito
humano. 

Para a Psicologia Histórico - Cultural, a noção de
desenvolvimento humano abarca tanto os aspectos
individuais como os aspectos sociais do processo
histórico de desenvolvimento humano, quer dizer,
as práticas cultural-históricas de socialização e
humanização. Ela envolve o subjetivo, o objetivo, o
material (biológico e sociológico), os aspectos
comunicativos, e as condições significantes ou
semióticas dos processos de autopoiesis
humana. 

A noção da dimensão semiótico-histórica do
desenvolvimento humano, elaborada por Vygotsky,
é, no nosso entender, um conceito potencialmente
unificador, fundamental para o estudo de realidade
humana. Ele nos permite considerar a diversidade
de aspectos e a natureza multidimensional dos
processos de desenvolvimento humano. 

Promover uma melhor compreensão das questões
do desenvolvimento com as quais se confronta a
comunidade humana hoje, quando
experimentamos transformações profundas na
organização da vida e na organização do
conhecimento, é nosso objetivo. 

Desnecessário dizer que consideramos o recurso
às idéias fundamentais da Teoria Histórico-
Cultural, recurso que deve ser entendido de modo
critico e dialógico, longe de um interesse
meramente "historiográfico" no passado da ciência
contemporânea, e igualmente longe de ser uma
mera"projeção " de interesses contemporâneos no
passado, como indicativo (em um sentido
profundamente auto-reflexivo, crítico, quer dizer,
dialético) das relações mútuas entre
desenvolvimentos científicos e as condições
históricas e sociais das práticas do conhecimento.

Como cientista, Vygotsky não foi simplesmente,
como observaram alguns, um homem "à frente do
seu tempo". Na realidade, ele foi um homem de
seu tempo, total e apaixonadamente imerso na
realidade maior do momento histórico em que vivia,
momento no qual um segmento de uma sociedade
nacional historicamente determinada em processo
de mudanca revolucionaria tentou, numa
perspectiva globalizante, a partir de sua realidade
propria feita de conflitos e confluencias estruturais
e ideologicas, imaginar e construir o futuro da
comunidade humana. Por considerar, de modo
profundo, a dimensão histórica do conhecimento,
Vygotsky foi capaz de apontar a direção futura do
conhecimento na psicologia. Neste sentido, seu
exemplo nos demonstra a necessidade
permanente de uma reconstrução metodológica da
prática científica como parte do desenvolvimento
histórico do conhecimento, da ciência entendida
igualmente como prática cultural. Deste modo,
nossa tarefa metodológica hoje também é a de
mediar o conhecimento de realidade e o
conhecimento de conhecimento (metaciência)
como os dois lados do mesmo processo crítico. 

Corretamente entendida, a pesquisa interdisciplinar
é hoje condição para o crescimento do
conhecimento. Interdisciplinaridade quer dizer algo
mais, ou melhor, algo diferente do que o simples
"ajuntamento" de campos científicos e de
disciplinas práticas ou teóricas diversas.
Interdisciplinaridade significa, muitas vezes,
trabalhar "ao redor" ou "entre" as fronteiras ou as
"fendas " entre campos científicos e disciplinas. E,
freqüentemente, significa trabalhar "contra a
corrente " das disciplinas acadêmicas
reconhecidas. Em suma, significa opor-se à
reificação e fragmentação que acompanharam
tradicionalmente a institucionalização do
conhecimento em campos científicos ou
acadêmicos diversos. Trabalhar contra a divisão de
trabalho científico em territórios exclusivos é
questionar as condições que geram verdadeiros
"pontos cegos" ideológicos no interior do
conhecimento científico e do discurso científico. 

Nós acolhemos todas as contribuiçõesque visem
elucidar e alargar o âmbito do conhecimento que
nós, incluindo aqui tanto a comunidade científica
como também a comunidade em geral,
consideramos, de fato ou potencialmente,
essencial para a compreensão do desenvolvimento
humano e sua relação com os desafios científicos
e práticos de nosso tempo. 

O editor

editor @ cepaosreview.cjb.net


copyright (c) 2001  Centro de Estudos e Pesquisas Armando de Oliveira Souza CEPAOS 
return to CEPAOS Review Homepage


endereço
mailing address:
Caixa Postal 12833
São Paulo, 04009-970,
Brasil

phone + fax: (55) 11 - 50837182   Brasil
fax: 303-200-8866                        USA

www.cepaos.cjb.net
www.cepaosreview.cjb.net